iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

"Seja quem você é!" repisa o chavão do tripé mídia-intelectuais-entretenimento. Mas e quando você

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

“Seja quem você é!” repisa o chavão do tripé mídia-intelectuais-entretenimento. Mas e quando você quica de identidade em identidade sem achar uma que seja adequada?

Leia o artigo original no Mirror.

Jareth Nebula nasceu mulher, mas, aos 29 anos, fez a transição para homem.
O recepcionista de barbearia, que também trabalha como modelo, disse que depois de fazer a transição ainda não se sentia bem. Ele não se sentia “confortável’, em nenhum dos gêneros
Portanto, quando Jareth soube do termo agênero – sem gênero – o aplicou a si mesmo. Jareth decidiu se referir a si como um alienígena sem gênero, e agora exibe um visual totalmente alienígena, chegando ao ponto de remover os mamilos para “se sentir menos humano”. Pelo mesmo motivo, raspa as sobrancelhas.  Ele também ostenta vários piercings faciais, tem um total de 78 estrelas em todo o corpo e usa uma maquiagem de aparência alienígena. Jarred, que optou por não divulgar seu nome de nascimento, prefere ser chamado pelo pronome ‘eles’. 

Ele se proclama agender. Diferentemente do termo fluido de gênero – que se refere a uma pessoa cuja identidade de gênero não é fixa, ou a uma pessoa que se sente que uma mistura de ambos os sexos -, agender geralmente se refere a ser sem gênero, ou de gênero neutro. 

Explicando sua jornada de transição, Jareth disse: ‘Depois de me tornar trans e acreditar que finalmente me encontrara, percebi que estava errado – não era homem nem mulher, nem mesmo humano.

Não penso ou me sinto humano. Eu realmente não posso explicar isso para os outros – eu sou simplesmente de outro mundo.

Eu não me sentia confortável em nenhum gênero, nem mesmo como algo intermediário. Eu sei que estou preso em uma forma humana e é assim que sou percebido pelos outros – mas para mim, sou um alienígena sem gênero. 

Jareth disse que começou a pensar que não se encaixava entre seus colegas quando foi diagnosticado com uma doença rara chamada síndrome de Ehlers-Danlos (EDS), aos 26 anos.

A condição é um grupo de distúrbios que afetam os tecidos conjuntivos que suportam vários órgãos e tecidos, incluindo a pele, ossos e vasos sanguíneos.

De acordo com a Clínica Mayo, o distúrbio pode resultar em articulações excessivamente flexíveis, além de pele elástica e frágil. 

Como resultado do distúrbio, Jareth foi chamado “Sr. Elástico” por seus médicos.  

Falando sobre a condição, que deixa a pele de Jareth livre de rugas, ele disse: ‘A condição significa que posso fazer minhas articulações saltarem de propósito, o que era um truque divertido quando eu era criança.

Agora percebo por que pude fazer a transição. Minha dor nas articulações piorava à medida que eu crescia, e ficava mais difícil me mover dia após dia.

Eu vou a um quiroprático uma vez a cada duas semanas e a um fisioterapeuta uma vez por semana, além de fumar maconha medicinal para a dor – mas atualmente não há cura para a SDE. 

Após o diagnóstico, Jareth disse que realmente começaram a pensar que eram diferentes dos outros. 

Ao longo da adolescência, Jareth foi uma ‘mulher hiper-feminina’, que trabalhava como modelo regularmente. 

Para iniciar a jornada de transição, Jareth começou a tomar injeções de testosterona e começou a se vestir de maneira masculina. Também fez uma cirurgia para remover os seios. No entanto, apesar da transição, Jareth ainda estava se debatendo com sua identidade de gênero.

“Eu pensei que ser um homem trans resolveria todos os meus problemas e dificuldades internas com a descoberta de quem eu era, mas não estava tão feliz quanto esperava.

Eu senti como se estivesse tentando me encaixar na caixa de outra pessoa. Eu não queria ser constrangido – foi quando descobri o que era agender. 

Eu também sempre fui obcecado por alienígenas, e o que significa ser extraterrestre, então a ideia de ser um alienígena agender se encaixa perfeitamente como uma identidade para mim.

Seu novo visual agender inclui várias modificações diferentes no corpo. Jareth também gosta de usar cores neon e pastel, além de roupas influenciadas pela cultura pop japonesa. 

Embora a família de Jareth tenha apoiado sua transição de mulher para homem, eles não aceitaram Jareth se tornar um alienígena e ainda o vêem como um homem trans. 

Embora esteja feliz com sua decisão de ser alienígenas, Jareth disse que nem todo mundo tem sido tão receptivo. 

Sua família apoiou Jareth na transição de mulher para homem, no entanto, eles não aceitaram sua decisão de se tornar um alienígena.

Jareth disse: ‘Minha família ainda me vê como um homem trans, porque eles não entendem o que realmente significa agender ou alienígena.

‘Tenho amigos online que me apoiam, mas offline é mais difícil. 

Nem todo mundo entende – mas tudo bem. Não espero que eles entendam, só quero aceitação.

Jareth também enfrentou reações on-line sobre sua decisão de viver a vida como um alienígena. 

As pessoas me tratam como uma aberração, porque eu sou uma alienígena, mas é uma coisa completamente válida se de se chamar a si mesmo.

– Quem é a pessoa para dizer quem você pode ou não ser? Se alguém quiser se identificar como o que quer que seja, até mesmo um animal, deixe.

Sinto muito pelas pessoas que me atacam online. Eu acho que elas não têm empatia e só querem me atingir, então eu lido muito bem com isso.

Estou feliz com quem eu sou e continuarei a me parecer mais alienígena todos os dias.

Excertos do vídeo:

Não é por causa da atenção. Trata-se de auto-expressão

Então, eu estava levando ao extremo porque estava infeliz.
Comecei a perceber que não queria ser um gênero, não queria ser colocado em uma caixa.

 Mamilos sempre foram desconfortáveis no meu corpo.
 Eu removi meus seios e mamilos, então tenho um peito completamente liso.
A dor vale a pena.
 Minha família não estava feliz com isso.
 A maioria das pessoas que eu conhecia não estava feliz com isso e todas diziam algo do tipo:
 “Você vai se arrepender disso” e, sabe, “Você tem certeza disso?”
 Eu definitivamente não me arrependo.
 Eu sinto o mamilo fantasma de vez em quando, isso é estranho.

Sobre a Síndrome Ehlers-Danlos:
 Eu tenho que andar com uma bengala a maior parte do tempo.
 Afeta os tecidos moles do corpo.
 Então, basicamente, torna todos os tendões e ligamentos muito frouxos e elásticos.
 Um dos problemas que tenho muito é o deslocamento do quadril, provavelmente duas vezes por semana.
Minha deficiência me faz sentir que não deveria ter nascido em um corpo humano.
 A coisa mais difícil de olhar da maneira que eu faço é ser capaz de, acho, diminuir o tom, de esconder.
 Porque eu realmente não gosto da atenção o tempo todo.
 Não quero chamar a atenção quando vou ao supermercado.

Às vezes gosto de receber atenção.
 Eu, definitivamente, sofro bulling muito mais do que gostaria.
 Sofro muito assédio, quase sempre.
 Muitas pessoas que simplesmente odeiam você aleatoriamente.
 Você nunca será nada além de uma garotinha, ou, sabe, seus pais devem realmente odiar você.
 Muitas pessoas não percebem que, sabe, isso pode realmente prejudicar alguém.
 Elas não perguntam o seu lado da história. Elas não levam em consideração sua perspectiva.
 É melhor fantasiar-se em um lugar como este.
 Porque se é reconhecido, eu acho, e as pessoas apreciam mais.
 E estar em um grupo cheio de pessoas fantasiadas é confortável.
 É bom porque então não me sinto tão sozinho.
 É bom que as pessoas sejam positivas aqui.

 Sou muito chamado de aberração. Francamente, eu não me importo por ser uma aberração e sei disso, então estou orgulhoso disso.
 Eu não mudaria nada sobre como me identifico.
 Eu não mudaria nada sobre como eu escolhi viver.
 Quero que as pessoas entendam que não há problema em ser quem você é.
 Ser sempre fiel a si mesmo, e como você se sente e como quer ser.
 Nunca deixe ninguém lhe dizer que você está errado por ser quem você é.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Opinião

Seja seu Próprio Herói.

Por Andrew Klavan. Leia o artigo completo no Daily Wire. [George] Lucas, você sabe, incorporou outras influências. O grande cineasta japonês Akira Kurosawa fazia parte de

Leia Mais »