iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Ele é homossexual, HIV +  e celebridade, e apóia sexo sem camisinha.
A imprensa, em geral, publica que ele é vítima de preconceito. Informar corretamente, entretanto, é importante devido aos riscos de doenças sexualmente transmissíveis, que impõem encargos aos indivíduos e aos custos no sistema de saúde
Charlie Tredway ganhou, recentemente, o título de Sr. Gay Nova Zelândia.um concurso que pretende formar futuros líderes dentro da comunidade gay local. O educador (segundo o jornal) de 33 anos não fez segredo sobre seu status; na verdade, foi parte central de sua campanha, prometendo que, se ganhasse, usaria o título para promover a educação sobre o HIV e a redução do estigma.
Sua celebração, no entanto, foi de curta duração. Ele declarara:
“Se você toma seus mediamentos [para HIV] viver com a doença é perfeitamente administrável. O que você não controla é como os outros vão tratar você quando você lhes der essa informação.
Tredway, que trabalha como agente de proximidade da comunidade para a  Fundação para Aids NZ, falou em favor do sexo desprotegido, e disse que sempre informou os parceiros de seu status.
A fundação defendeu suas observações, argumentando que os avanços na prevenção do HIV haviam chegado ao ponto em que indivíduos com o vírus poderiam ser “virtualmente não-infecciosos”.
Em um artigo intitulado “Pare de estigmatizar o sexo HIV-positivo”, o escritor John Walker defende Tredway,.
Ele argumenta que a reação que Tredway está enfrentando “é um lembrete de que a nossa bagagem cultural em torno do HIV é muito pesada, como sempre.”
 
O artigo continua, citando a co-diretora do Projeto Anti-Violência, Darlene Torres, que diz que “o estigma pode facilmente transformar-se em violência”.
 
“O ponto é desumanizar uma pessoa”, ela continua. “A humilhação é intencional, e a mensagem é que eles [pessoas com HIV] estão sujos, não devem existir ou ter uma vida de felicidade, segurança ou respeito”.
O New Zealand Herald publicou, subsequentemente, um editorial declarando que “é decepcionante que o novo Mr Gay Nova Zelândia tenha enviado uma mensagem que ameaça minar o conselho claro e consistente que os melhores especialistas em saúde da Nova Zelândia e no exterior vêm deixando claro ao longo de alguns anos. “
 
O Herald continua a implodir Tredway e a Fundação para Aids NZ, por ela ter se referido à doença como “virtualmente não infecciosa”: “Isso não está de acordo com o conselho constante do Ministério da Saúde, ou de médicos especialistas na área, do exterior, que é praticar sexo seguro”, contesta The Herald.
 
Na verdade, de acordo com o site do Ministério da Saúde da Nova Zelândia, “usar corretamente preservativos e lubrificantes à base de água toda vez que você fizer sexo vaginal ou anal reduz o risco de contrair o HIV em cerca de 95%”.
O Ministério da Saúde diz que a mensagem chave é que o HIV / AIDS ainda está aqui e não há cura, mas é evitável.
Por lei, os neozelandeses têm o dever legal de não pôr em perigo a vida, a saúde ou a segurança dos outros. Isto significa que as pessoas infectadas pelo HIV devem tomar “medidas razoáveis” para evitar a transmissão do HIV.
O Grupo de Epidemiologia da AIDS de Dunedin é responsável pela vigilância nacional da AIDS e da infecção pelo HIV desde 1989.
Seu conselho mais recente afirmou que os esforços de prevenção do HIV precisam se concentrar em homens gays, incentivar o uso do preservativo e testes regulares para o HIV e outras doenças sexualmente transmissíveis, que aumentam o risco de aquisição e transmissão do HIV.
Isso é importante devido aos riscos de doenças sexualmente transmissíveis, que impõem encargos aos indivíduos e aos custos no sistema de saúde.
Fonte:
cartoon premiado: Urziceni 2015, Romania http://www.bestcartoons.net/Car/Alive-Contests/Urziceni-2015-Romania/i-tpKbT63
https://milo.yiannopoulos.net/2017/03/not-wanting-hiv-spread-now-makes-bad-person/
http://www.nzherald.co.nz/lifestyle/news/article.cfm?c_id=6&objectid=11806841
https://www.vice.com/en_us/article/stop-stigmatizing-hiv-positive-sex
star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Educação

A INQUISIÇÃO SECULAR

Por Melanie Phillips. Leia o artigo original em Melaniephilips. Alguns dias atrás, o filósofo John Gray escreveu no site Unherd uma análise sombria, mas precisamente direcionada , de por que as ciências

Leia Mais »