Cena do filme “Madrasta”. No cartaz do mesmo, lê-se “Esteja presente na alegria. Esteja presente nas lágrimas. Esteja presente um para o outro.”

Por Anne Peterson. Leia o artigo completo aqui.

As férias estão chegando, e para alguns isso significa encontros familiares. Sentado com aqueles que você ama e que amam você, rindo e contando velhas histórias repetidas vezes.

Para outros, o mero pensamento de se reunir com certas pessoas é o suficiente para fazê-los estremecer.

Nem todo mundo é fácil de se conviver. E, no entanto, espera-se que tentemos nos dar bem.

Eu não sou uma especialista, mas também já tive minha quota de brigas.

Evite certos tópicos.

Muitas vezes algumas pessoas são atraídas, como ímãs, para falar sobre as coisas que parecem causar conflitos, áreas em que sabem que há diferença de opiniões.

Albert Einstein disse que “fazer a mesma coisa repetidas vezes, esperando resultados diferentes é insanidade”.

No entanto, parece que fazemos isso, não é mesmo?

[É como uma pessoa vendo uma casca de banana e andando em direção a uma casca de  banana, ciente da iminente queda, em vez de desviar.]

Às vezes, esquivar-se é a melhor opção. Mas nós não temos que evitar a pessoa completamente – apenas evite esses tópicos polêmicos.

Deixe a pessoa falar.

[Apesar da profusão de maneiras de se comunicar, isso não significa que estamos melhorando]. Às vezes, tornar-se mais eficiente na comunicação digital significa que estamos nos comunicando menos cara-a-cara ou por voz. Pelo menos com essas duas rotas, você tem a vantagem de deixar alguém ver suas expressões ou ouvir seus tons. Sem recorrer a maiúsculas ou emojis, nosso ouvinte estará sempre tentando decifrar o que queremos dizer.

Cometemos o erro de pensar que, se dizemos, está sendo entendido. Lembre-se da brincadeira infantil de telefone sem fio? Não importa quão bem você pense que está dizendo alguma coisa, você não está se comunicando enquanto o receptor não receber a mensagem que você disse, e não uma versão pobre dela.

Se você deixar a pessoa falar ou fizer perguntas enquanto ela estiver falando com você, ela se sentirá ouvida. Muitos ressentimentos surgem porque a pessoa não se sente ouvida.

Observe sua linguagem corporal.

Se você quiser falar e transmitir, você tem que estr no mesmo nível de alguém, esteja fisicamente no mesmo nível. Se você estiver de pé e as pessoas sentadas, elas sentirão que você tem um ar de superioridade.

Não são apenas as palavras que dizemos, mas como as dizemos que importa. Braços cruzados refletem uma postura de estar fechado. Tente relaxar quando estiver falando com uma pessoa difícil.

Modere o tom.

Uma amiga minha ligou para saber se ela e os filhos poderiam vir e ficar conosco por uma semana. Sem checar com meu marido, respondi imediatamente que sim.

Eu sabia que ele adorava minha amiga.
Quando meu marido soube, sua primeira resposta foi: “Bom, você terá que ligar para ela e dizer que ela não pode vir”.

A experiência me ensinou que não adiantaria argumentar nesse ponto. Mas então as coisas ficaram mais difíceis quando ele me disse: “Então, você vai me fazer aquela massagem que prometeu?”

Acredite, eu queria fazer QUALQUER coisa, menos esfregar suas costas naquele momento. Apesar disso, decidi cumprir o que falara. E aqui está a parte difícil, SEM demonstrar contrariedade. Fiz a uma massagem nas costas e realmente achei que ouvi algo quebrar dentro de mim. Mas eu sabia que estava fazendo o que Deus queria que eu fizesse.

Quando terminei, fui cuidar da roupa na lavanderia. Meu marido marido me surpreendeu: “Agora”, ele disse suavemente. “Por que você não me fala sobre esse telefonema?”

Adivinhe! Ele não se incomodou com a visita. E nós nos divertimos muito.

Estenda a graça.

Eu sei que essa pessoa não é fácil de se conviver. Algo as torna difíceis, mas não importa quem sejam, podemos estender a graça. É o que Deus nos instrui a fazer.

O verso que cimenta isso em minha mente é Romanos 5: 8. Enquanto ainda éramos pecadores, Deus nos mostrou seu amor. O que? Às vezes acho que esquecemos disso e acreditamos que ele nos mostrou amor porque o escolhemos. Lembre-se de que Deus amou o mundo, como diz em João 3:16. E Deus sabia que parte do mundo não o aceitaria.

A graça é favor imerecido. Deus é gracioso conosco apenas porque ele escolhe ser. Podemos estender a graça da mesma maneira. E se nos lembrarmos disso, será útil. Temos a tendência de dizer: “Você viu como eles me trataram?”

Eu não estou diminuindo o que eles fizeram ou disseram que os tornou difíceis, só estou dizendo que Deus pode permitir que você dê graça quando você gostaria de dar a eles o que você acha que eles merecem, o que parece muito diferente da graça.

Perdoe.

Anos atrás, ouvi Joyce Meyer falar sobre aqueles que magoam os outros. Eu me identifiquei porque sabia que havia momentos em que eu tinha atacado as pessoas que amo. Não era por causa deles, e me senti horrível depois. Mas mesmo assim fiz isso.

Talvez a pessoa difícil em sua vida tenha se ferido. Algo fez com que ela agisse grosseiramente, ou com raiva. Eu amava muito meu irmão, Gus, mas, por razões desconhecidas para mim, ele atacava ou simplesmente se afastava da minha vida por longos períodos de tempo. Então um dia recebi uma ligação. Mas toda vez que ele abria sua vida para mim, eu me fazia presente. Por quê? Eu o amava. Ele era da família.

Um dia depois de não ter notícias dele por um tempo, ele ligou e disse: “Anne, eu tenho câncer”.

Eu tinha uma decisão a tomar. Eu deixaria seu comportamento passado ditar como eu iria tratá-lo? Eu sabia o que Deus queria que eu fizesse, então eu me abri novamente. Todos nós nos abrimos e ficamos presentes, todo o caminho, até o fim. Por quê? Isso se chama perdão. Leia Efésios 4:32. Perdão não é algo que decidimos com base no comportamento de alguém, é algo que Deus espera que façamos. Assim como ele fez por mim; eu também não merecia isso.

Sim, as festas estão chegando. É hora de as famílias se reunirem. Alguns estão animados com isso e outros não. Por que não usar esta época natalícia como motivo para amar como você foi amado?

Nunca é tarde demais para fazer a coisa certa.

Anne Peterson é poeta, palestrante e autora de 14 livros. Anne entende de abuso, já que escreveu um livro de memórias: Despedaçada: uma história de abuso e sobrevivência. Você pode ver mais do trabalho de Anne, verificando esses links. E embora Anne tenha muitos títulos, o favorito dela ainda é “Vovó” para 4 netos aqui e um no céu. Faça o download de uma cópia gratuita de seu livro Real Love , juntando sua lista de e-mail. Inscreva-se no boletim informativo de Anne e receba seu e-book gratuito, Ajudando alguém em luto: 17 coisas que você precisa saber . Visite o site dela em www.annepeterson.com . Você pode encontrá-la no Facebook , noTwitter e no Google .

Receba Por E-mail

Inscreva-se em nossa lista de e-mails para receber atualizações e as notícias mais recentes do Conselho!

Inscrito Com Sucesso, Parabéns!