iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

 

 

Por Susan Berry, no Breitbart.

 

A comentarista cultural, Camille Paglia, disse que o feminismo da segunda onda – em sua tentativa de destruir os homens – também está destruindo as mulheres e nossa cultura.

Paglia,  ícone feminista – que prefere a marca original do feminismo que conquistou para as mulheres o direito de votar e exaltou heroínas como Katharine Hepburn, Amelia Earhart e Anne Morrow Lindbergh – disse que a segunda onda mais recente do feminismo é “um veneno absoluto que tem espalhar-se por todo o mundo ”.

 

Paglia disse que as feministas originais “admiravam o que os homens haviam feito – não havia nenhum ataque masculino – como se tornou sistêmico no feminismo da segunda onda”.

A marca do feminismo recriada por Betty Friedan na década de 1960, disse Paglia, agora baseia-se em “denegrir homens” e “definir homens como opressores e tiranos ao longo da história”.

“É uma mentira absoluta”, disse ela, “uma extrapolação de neuroticismo por parte desses fanáticos”.

Autora de Sexual Personae, Paglia acrescentou que a “geração floco de neve” é também um resultado da mídia social, “onde as pessoas sentem que têm muitos amigos e querem uma sensação de que a realidade as consola e amortece, e assim por diante”.

Paglia disse que, ao tentar suprimir a evidência de diferenças entre os sexos, o feminismo da segunda onda “na verdade está expondo as mulheres jovens ao perigo”.

Ela acrescentou que o sistema educacional do país fracassou com os jovens, porque “tentou fazer com que todos se sintam bem” e usa a palavra “diversidade” como uma “bandeira” para tentar compensar algo do passado – a dura verdade que nem é mais ensinada por medo de “provocar”  [trigger] grupos de pessoas.

Comparando o feminismo da segunda onda com a “Inquisição Espanhola”, Paglia explicou que “qualquer forma de dissidência – mesmo dentro do feminismo – é tratada como heresia… e eles realmente tentam destruir você”.

Paglia disse que, enquanto as feministas da segunda onda lideram uma tentativa de destruir a religião e a cultura tradicionais, o resultado tem sido a “nova religião” do politicamente correto.

 

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Opinião

Seja seu Próprio Herói.

Por Andrew Klavan. Leia o artigo completo no Daily Wire. [George] Lucas, você sabe, incorporou outras influências. O grande cineasta japonês Akira Kurosawa fazia parte de

Leia Mais »