Jovens decidem ser transexuais por influência da TV e midias sociais principalmente. Como ainda em fase de desenvolvimento, não possuem condições psicológicas de tomar decisões irreversíveis passíveis de arrependimento. Modismos e conformar-se ao grupo é o que os impele.
  Artigo de Amanda Prestigiacomo para o Daily Wire. Leia-o no original aqui.
Especialista e psiquiatra, Dr. Stephen Stathis emitiu um aviso sobre o excesso de diagnósticos de jovens trans, alegando que muitas das crianças e adolescentes que consulta em sua clínica de gênero na Austrália não estão realmente sofrendo de disforia de gênero, ou transexualismo, mas, em vez disso estão tentando se tornar trans porque é moderno, desejam chamar a atenção de seus pares. Uma dessas crianças disse a Stathis que o transexualismo “é o novo negro”.
 
De acordo com o psiquiatra, apenas uma pequena minoria dos jovens do serviço de gênero do Lady Cilento Children’s Hospital, em Brisbane, será realmente diagnosticada com disforia de gênero. Quando a maioria desses jovens com dificuldades atingir a puberdade, diz Stathis, eles terão superado suas confusões e se identificarão como seu sexo biológico.
 
Stathis diz que muitos desses jovens estão “tentando ser transgêneros” para ser diferentes de seus pares e ganhar atenção.
 
“Um deles me disse:” Dr. Steve … eu quero ser transgênero, é o novo preto “, disse o médico.
 
“Pode ser que uma menina de seis ou sete anos de idade queira se vestir como um menino”, explicou Stathis durante uma entrevista, em março. “Ela pode até dizer que quer ser um menino. Quando ela atingir a puberdade, ela diz: ‘Não, eu sou apenas uma garota que gosta de fazer coisas de menino. “
 
O psiquiatra também alertou que outras crianças e adolescentes podem alegar serrm transgêneras por causa de um trauma do passado. Por exemplo, Stathis disse que viu meninas jovens que foram vítimas de abusos sexuais que se transformaram em transgêneros.
 
“As meninas dizem: ‘Se eu fosse um homem, eu não teria sofrido abuso'”, disse ele.
 
Ser jovem e transgênero tornou-se a nova atração na esquerda. O New York Times, por exemplo, recentemente afirmou que seria loucura não oferecer às crianças que sofrem de confusão de gênero terapia hormonal.
 
Mas essa noção de que devemos encher essas meninas peraltas e crianças confunsas quanto ao seu gênero com bloqueadores de hormônios e terapias e, por fim mutilar seus corpos, é cruel.
 
Conforme descrito por Stathis e apoiado por muitos dados, há uma taxa incrivelmente alta de crianças que não estão realmente sofrendo de transgenderismo que acreditam que estão, muitos dos quais simplesmente superam a confusão sexual normal. O empurrão dos transgêneros, em vez de ajudar os jovens marginalizados, está na verdade criando vítimas.

 

 

Receba Por E-mail

Inscreva-se em nossa lista de e-mails para receber atualizações e as notícias mais recentes do Conselho!

Inscrito Com Sucesso, Parabéns!