iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

:

Legenda da foto:
Não sou menino, nem menina, onde faço xixi?
Lá fora!!!
Artigo de Natalie Behring, no The Guardian
A mudança sempre é  feita de forma gradual, para não chocar. 
É por esse motivo que as escolas não permitem que os alunos “expressem sua individualidade” por meio de pequenas mudanças individuais nos uniformes. Cada uma delas seria um precedente que acabaria por desfigurar completamente o padrão (a obrigatoriedade ou não do uniforme é outra questão).
Primeiro veio a maquiagem1 para homens, depois a roupa unissex2, aí os emojis3. Finalmente, chegou o status legal, e não há mais ninguém para interceder por normalidade.
 
Em março de 2017, um juiz norte-americano concedeu a um designer de videogame o direito legal de ser uma pessoa sem gênero.
 
A juíza do Oregon, ,Amy Holmes Hehn, já havia concedido status legal “não-binário” a Jamie Shupe, em julho de 2016, mas, agora, ela foi mais longe, concedendo a “Patch”,o direito de ser tratado (tratado, aqui, quer dizer forma de dirigir-se à pessoa, e não tratado psiquiatricamente, como deveria ser o caso) como “agênero”.
 
Patch, de 27 anos, disse a Mary O’Hara, colaboradora da NBC News:
 
“Quando eu era criança, provavelmente por volta dos 6 anos, o gênero não fazia sentido para mim. Disseram pra mim “os homens são isso, as mulheres são isso.” Quando me tornei adolescente, fiquei sabendo sobre os transsexuais, e não parecia que eu fosse isso. E então eu fiquei sabendo do  genderqueer4 e não parecia que eu fosse isso…. . Mesmo os pronomes de gênero neutro não faziam com que eu me sentisse que eu me encaixava. Eu não sinto nenhuma identidade ou proximidade com nenhum pronome com que me deparei. O que me descreve é o meu nome.”
 
Hehn mandou um e-mail à rede NBC News: “Eu tomei essas decisões, como todas as outras decisões, porque elas se sustentavam em fatos e leis, e por respeito à dignidade das pessoas que vieram antes de mim.”
 
Houve comemoração em alguns lugares; O advogado Kyle Rapiñan disse: “Esta é a primeira vez que o projeto de lei de Sylvia Rivera ouve falar disso, e aplaudimos o tribunal por reconhecer as pessoas como elas são. Esperamos que outras agências governamentais ajudem as pessoas a auto-determinar sua identidade de gênero, que também inclui a opção de identificar-se sem um gênero. “
 
“O caso de Jamie Shupe em maio passado, o primeiro em que uma pessoa dos Estados Unidos recebeu um gênero legal que não é nem masculino nem feminino, começou um efeito de dominó no Departamento de Veículos Motorizados do Oregon entre outras agências – que desde então têm trabalhado em direção a uma designação de terceiro gênero em documentos de identidade “.
 
 
Em dezembro do ano passado, a norte-americana Sara Kelly Keenan recebeu o primeiro certificado de nascimento americano como “intersex” depois que um juiz concedeu a sua mudança de gênero do sexo feminino para o não-binário.
 
O Facebook foi pioneiro nessas iniciativas, tornando obsoletos os valores tradicionais; Introduziu gêneros ilimitados em fevereiro de 2015.
 
* Genderqueer (GQ; ou não-binário) é um “termo guarda-chuva” (termo que, neste caso, embarca várias identidades diferentes dentro de si) para identidades de gênero que não sejam exclusivamente homem nem mulher, estando portanto fora do binário de gênero e da cisnormatividade.
1 A coleção de maquiagem unissex possui marcador para lábios, géis para sobrancelha, sombras para os olhos  e muito mais. A diferença fundamental nessa linha, e em outras marcas, é que a embalagem não é apenas voltada para compradoras  percebidas como femininas.
A maior parte da maquiagem é embalada para as mulheres, e é por isso que os homens se sentem envergonhados de possui-las “, disse Peter a Allure sobre os embalagens pretas e foscas da linha.” Não há diferença entre maquiagem para homens ou mulheres: é tudo embalagem.”
2  A H & M é a mais recente marca a introduzir uma coleção sem género. fazendo avançar a agenda de uma sociedade não-binária. A porta-voz da marca disse que a moda deveria ser sempre inclusiva.
3 Os emoji retratam uma criança, um adulto e uma pessoa idosa com “atributos visuais inclusivos de gênero”. De acordo com a proposta, os emoji estão “abertos à interpretação em termos de gênero sem implicar explicitamente o gênero masculino ou feminino”.
Você pode ler mais sobre Jamie Shupe aqui
Fonte:
http://mashable.com/2017/03/21/gender-inclusive-emoji/#bm6uztCwXkqf
http://www.newsbusters.org/blogs/culture/sarah-stites/2017/03/14/mic-wants-you-be-excited-unflattering-genderless-clothes
http://www.usatoday.com/story/life/entertainthis/2016/05/13/mac-brant-brothers-gender-fluid-makeup-line-returns/84326038/
http://www.dailywire.com/news/14775/no-gender-no-problem-oregon-judge-grants-first-hank-berrien

https://www.theguardian.com/world/2016/jun/16/jamie-shupe-first-non-binary-person-oregon

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.