iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

 

Written by Jason, on Escape Adulthood.

Isso é poderoso.

Cada um de nós tem uma linha que marca até que ponto estamos dispostos a parecer bobos diante dos outros. Para a maioria de nós, essa linha não está muito distante. Algumas pessoas farão de tudo para evitar parecerem um pouco bobas em público. Nós não levantamos as mãos para fazer uma pergunta, dançar em público ou usar qualquer coisa que possa dar uma olhada de lado.

Os comediantes de elite, como Will Farrell e Jim Carrey, estão dispostos a ir além da linha, o que é quase chocante. Eles vão tão exageradamente em seu comprometimento com o bocado, e o possuem de tal maneira que demonstra claramente que eles simplesmente não se importam com o quão tolos eles parecem. (Como na época em que Will fingiu ser um gato como parte de sua audição no Saturday Night Live):

Costumamos supor que, se formos muito tolos, as pessoas não nos levarão a sério. Mas a ironia é que, quanto menos nos preocupamos com a nossa aparência tola, mais confiança projetamos. E confiança é poder. Somos mais atraídos por pessoas com confiança. As pessoas seguem líderes confiantes. Dizemos sim aos pedidos feitos com confiança.

Amy Poehler estava certa quando disse: “Há poder em parecer bobo e não se importar com isso.”

Acredite ou não, considerei fazer essa pintura de 12 x 12 polegadas. Que escolha estúpida teria sido. A pintura original é quase quatro metros quadrados, e graças a Deus. Esta pintura é sobre o poder de não se importar em parecer bobo. É importante que este leão – uma das criaturas mais poderosas da Terra – seja em tamanho natural. Estar cara-a-cara com ele lhe dá uma sensação real do poder dele. E o fato de ele estar usando uma pequena coroa de papel de um fast-food não faz nada para minimizar esse poder.

Você vai ser o único a dizer-lhe que ele parece um idiota?

Mesmo se você fez, é bastante claro que ele não se importaria com a sua opinião.

Não podemos controlar as opiniões dos outros ou o que eles pensam de nós. Mas isso não importa, porque você é o suficiente. Você não precisa da permissão ou validação de outra pessoa para se sentir valioso. Possuir o poder que vem de ser você – seu maravilhoso, estranho e maluco você – e não se importar com o que as outras pessoas pensam.

Você é incrível, talentoso e maravilhosamente feito, do jeito que você é.

Quando você pode possuir isso? Bem, isso é o mais poderoso que você pode ser.

Each of us has a line that marks how far we are willing to go in looking silly in front of others. For most of us, that line is not very far away. Some people will do anything to avoid looking the least bit silly in public. We don’t raise our hands to ask a question, dance in public, or wear anything that might draw a sideways glance.

The elite comedians, like Will Farrell and Jim Carrey, are willing to go so far beyond the line in that it’s almost shocking. They go so over-the-top in their commitment to the bit, and own it in such a way that clearly demonstrates that they simply don’t care how silly they look. (Like the time Will pretended to be a cat as part of his Saturday Night Live audition. Or my friend Jason Hewlett doing “Daddy Dinosaur.”)

We often assume that if we are too silly, people won’t take us seriously. But the irony is that the less we care about how silly we look, the more confidence we project. And confidence is power. We are more attracted to people with confidence. People follow confident leaders. We say yes to requests made with confidence.

Amy Poehler was right when she said, “There’s power in looking silly and not caring that you do.”

Believe it or not, I considered making this painting 12 x 12 inches. What a stupid choice that would have been. The original painting is almost four foot square, and thank goodness. This painting is about the power of not caring about looking silly. It’s important that this lion — one of the most powerful creatures on earth – is life-size. Being face-to-face with him gives you a real sense of his power. And the fact that he is wearing a silly little paper crown from a fast-food joint does nothing to minimize that power.

Are you going to be the one to tell him he looks like an idiot?

Even if you did, it’s pretty clear that he wouldn’t care one whit about your opinion.

We can’t control the opinions of others or what they think of us. But that doesn’t matter, because you are enough. You don’t need anyone else’s permission or validation to feel valuable. Own the power that comes from being you – your wonderful, weird and wacky you – and not caring about what other people think.

You are amazing, talented, and wonderfully made, just the way you are.

When you can own that? Well, that’s as powerful as you can be.

 

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.