iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Por Calvin Freiburger. Leia o artigo completo no Life Site News.

A Califórnia promulgou a Lei de Juventude Saudável da Califórnia em 2015, mas só agora suas disposições controversas começam a entrar em vigor nas salas de aula. Sob os auspícios da saúde, a lei diz que irá equipar os alunos para desenvolver “atitudes saudáveis” sobre “gênero [e] orientação sexual”, entre outras coisas. Também diz que informará os alunos sobre a “eficácia e segurança de todos os métodos contraceptivos aprovados pela FDA” e facilitará “discussões objetivas” sobre “pais, adoção e aborto”.

Kira Davis diz,que faz parte do material um guia de estudo para o livro infantil transexual I Am Jazz, bem como um ” kit de ferramentas de saúde sexual”.

Menino e homem drag queens.

Esse “kit de ferramentas”, financiado em parte por um centro ligado a George Soros , oferece dicas para crianças sobre o uso de brinquedos sexuais e lubrificantes anais. Ele define “sexo anal”, “sexo por telefone” e outros como “comportamentos sexuais comuns”. Ele ensina que “abstinência” e “virgindade” podem significar engajar-se em uma variedade de atividades sexuais, mas parar antes do intercurso sexual.

“E se você não tiver tempo ou dinheiro para comprar brinquedos sexuais?”, o guia pergunta. “Pepinos, cenouras e bananas (com a casca) são ótimas alternativas. Apenas lembre-se de usar camisinha!”

O manual ensina ainda que um dos “contras” de se abster de toda atividade sexual é que “requer motivação, autocontrole e comunicação de ambos os parceiros”.

O “kit de ferramentas” lista como recursos a Planned Parenthood e o grupo radicalmente pró-homossexual e pró-aborto, Advocates for Youth.

A lei também determina que as lições e os materiais “reconheçam afirmativamente” orientações sexuais variadas e “incluam relações entre pessoas do mesmo sexo”. A instrução deve ter uma visão positiva da confusão de gênero e explorar “os danos dos estereótipos negativos de gênero”.

A Lei protege, expressamente, os direitos dos pais de “dispensar seus filhos da participação” em cursos de educação sexual sem penalidade de qualquer tipo, porque “pais e responsáveis ​​têm a responsabilidade final de transmitir valores relativos à sexualidade humana para seus filhos.”

Um distrito escolar interpreta diferentemente a lei. Em um memorando, o conselheiro Ronald Wenkart diz que a provisão da lei “não se aplica a instrução, materiais ou programação que discuta gênero, identidade de gênero, expressão de gênero, orientação sexual, discriminação, assédio, bullying, intimidação, relacionamentos ou família e não discute os órgãos reprodutivos humanos”.

Os pais que não concordam com as posições LGBT do estado “não podem dispensar seus filhos desta instrução”, continua Wenkart. Ele então sugere que o direito que os pais ainda têm de “aconselhar seus filhos de que eles não concordam” com essas lições compensam a restrição.

Ele também cita precedentes judiciais para afirmar que “os pais não têm o direito constitucional de dispensar seus filhos de partes do currículo escolar que considerem questionável”.

Heidi St. John, autora e palestrante que comenta fé, maternidade e educação escolar em casa discordou com veemência:

“O Departamento de Educação de Orange County acha que é direito deles DAR A VOCÊ PERMISSÃO PARA DISCORDAR DELES. Estes são nossos filhos! Eles não pertencem às escolas.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Educação

A INQUISIÇÃO SECULAR

Por Melanie Phillips. Leia o artigo original em Melaniephilips. Alguns dias atrás, o filósofo John Gray escreveu no site Unherd uma análise sombria, mas precisamente direcionada , de por que as ciências

Leia Mais »