iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Como vimos com as explosões recentes em vários campus universitários, não é preciso muito nestes dias para as pessoas se ofenderem. Usar um traje de Halloween que faz referência a uma certa cultura? Ofensivo. Dizer algo contrário à opinião de outra pessoa? Ofensivo.

Mas nos ofendemos e nos ultrajamos muito facilmente hoje em dia? Essa é uma pergunta que Sarah Kaufman faz em um artigo recente para a Revista Salon. Ela observa:

“Estamos em um ambiente de agarrar e tomar: tirar vantagem, assumir o controle, tomar para si mesmo.”

A culpa por essa mentalidade, diz Kaufman, está parcialmente aos pés de pais que seguiram a “abordagem centrada na criança” de Benjamin Spock para criar filhos. Tal abordagem incentivou os pais a promover e incentivar a auto-estima e a “popularidade” de seu filho. Ao fazer isso, os pais perderam a oportunidade de criar filhos graciosos e educados que se concentram em dar aos outros, e não a si mesmos. Kaufman observa:

“Curiosamente, a visão de Spock sobre a primazia da simpatia inverte a noção anglo-americana de longa data, prevalecente entre os puritanos e até a década de 19 e início do século XX, que constrói o caráter através do serviço aos outros, seja o seu parceiro ou Deus.Nesta visão mais antiga, quanto menos você se fixar em si mesmo melhor, além de controlar os impulsos indisciplinados. Dar prioridade aos outros é a coisa certa, e graciosa, a ser feita. “

A sociedade parece cada vez mais caótica, egocêntrica e confusa. Será que veríamos alguma dessa confusão se resolver se começássemos a treinar a próxima geração a concentrar-se menos em si mesmos e em seus próprios confortos e, mais uma vez, procurar prover graça e serviço aos outros?

Annie Holmquist  tem mais de 20 anos de experiência como educadora musical e professora voluntária.
star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Opinião

Seja seu Próprio Herói.

Por Andrew Klavan. Leia o artigo completo no Daily Wire. [George] Lucas, você sabe, incorporou outras influências. O grande cineasta japonês Akira Kurosawa fazia parte de

Leia Mais »