Por Tom Ciccotta. Leia o artigo completo no Breitbart.

Por Tom Ciccotta. Leia o artigo completo no Breitbart.

“Com a natureza pervasiva das mídias sociais, há muita pressão para se parecer feliz e perfeito. Com a Real Meals, a marca Burger King comemora ser você mesmo e sentir o que você quer sentir”, disse BK em um comunicado à imprensa.

No Mês da Conscientização sobre Saúde Mental, o BK lançou uma linha de produtos chamados de “Refeições Reais”, que representam vários estados de ânimo da vida real e problemas de saúde mental. Coincidem também, por oposição, às Happy Meals do McDonald’s. Como ninguém é feliz o tempo todo, as Refeições Reais têm 5 versões: Pissed Meal (para quando você está furioso) Blue Meal (para quando você está triste), Salty Meal (para quando você estáé um pouco amargo), YAAAS Meal (para quando você, literalmente, não consegue conter seu entusiasmo) e DGAF Meal (para quando você, realmente, não dá a mínima).

O filme da campanha, apresenta uma sucessão de pessoas que (acreditam que) são fracassadas, e reagem com apatia ou raiva. A letra da melodia do filme diz diz: “Tudo o que peço é que você me deixe me sentir do meu jeito.”

Paul Gionfriddo, presidente da Mental Health America, acha que a cadeia de fast-food está fazendo um serviço público ao conscientizar as pessoas sobre problemas de saúde mental. Diz ele:

Embora nem todos pensem em unir fast food e saúde mental, a MHA acredita em elevar a conversa em todas as comunidades, a fim de abordar a doença mental antes do estágio 4 (quando alguém apresenta sintomas graves). Ao usar sua reputação internacional para discutir a importância da saúde mental, a Burger King está trazendo uma consciência muito necessária para essa discussão importante e crítica – e permitindo que seus clientes saibam que não há problema em não estar em condições.

Ironicamente, pesquisas médicas provam que o consumo de fast food pode levar a graves problemas psicológicos. “A inflamação crônica (que é causada pelo consumo de alimentos processados ​​com muita gordura ou açúcar) pode afetar a saúde mental pelo transporte de moléculas pró-inflamatórias para o cérebro; também pode afetar as moléculas – neurotransmissores – responsáveis ​​pela regulação do humor”, disse um pesquisador.

O Burger King não é a primeira marca a usar depressão, ansiedade ou mal-estar para vender comida. Qualquer pesquisa de mercado informa que os jovens são ansiosos, financeiramente inseguros e sofrem de isolamento emocional. Um efeito negativo da campanha é as pessoas alvo sentirem-se endossadas em seus sentimentos. Depois de serem apresentados como fracassados, mas vítimas, os personagens cantam “Tudo que eu peço é que você me deixe me sentir do meu jeito”. Sem trocadilhos, essa postura alimenta o problema.

Fonte:


www.today.com/food/burger-king-debuts-unhappy-meals-because-no-one-happy-all-t153339
/www.vox.com/the-goods/2019/5/2/18527110/burger-king-unhappy-meals-steakumms-sad-brand-twitter

Receba Por E-mail

Inscreva-se em nossa lista de e-mails para receber atualizações e as notícias mais recentes do Conselho!

Inscrito Com Sucesso, Parabéns!