iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Em português: clique nos 3 pontos horizontais, no canto inferior direito do vídeo. Selecione ‘ABRIR TRANSCRIÇÃO’. Clique sobre o texto, com o botão direito do mouse, na opção ‘TRADUZIR PARA O PORTUGUÊS’.

Desde a Revolução Sexual, as atitudes para com a homossexualidade mudaram drasticamente

– Tudo que as pessoas querem é ser amadas, e se as pessoas odeiam nosso amor, isso é ridículo.

Clubes de gays e lésbicas, Paradas Gay e casamento homossexual: para gays e lésbicas, a luta parece ser vencida. Ser gay é OK. Os que rejeitam os valores dos gays e lésbicas podem esperar rótulos de”preconceito” e “ódio”. A aprovação generalizada da liberdade sexual se estende a todos, exceto, talvez, a um segmento da população: àqueles que querem deixar a homossexualidade e, em vez disso, lutar pela heterossexualidade. Esses homens e mulheres têm sentimentos homossexuais, mas não aceitam a identidade homossexual. Eles acreditam que a homossexualidade não é o que eles realmente são e, em vez disso, procuram uma saída. Mas quem procura essa saída pode contar com reações hostis. Sua decisão de desistir da identidade gay é considerada, muitas vezes, uma traição à comunidade LGBT, o que os coloca na posição de marginais. Alguns deles procuram terapias que os ajudem a fazer a mudança. Mas suas opções são limitadas e às vezes enfrentam resistência pesada. Muitos líderes do movimento gay dizem que este tipo de terapia é perigoso, homofóbico e que, de fato, ninguém pode mudar sua sexualidade.

– Enquanto tivermos esse núcleo de extremistas religiosos calcificados, neste país, nada vai mudar.

– Se alguém me dissesse: “Ah, essa é apenas a sua religião”, então eu diria: “Bom, e se for? Não é da sua conta determinar a validade da minha religião. Como você se atreve? Não é o meu direito?

Alguns até dizem que esse direito deveria ser banido. Mas outros o defendem, dizendo que mudaram, e que todos devem ser livres para escolher seu próprio caminho e decidir quem eles querem amar, mesmo que isso signifique deixar a comunidade gay.

– Um homem com atração pelo mesmo sexo que quer fazer qualquer outra coisa menos mergulhar completamente nesta atração pelo mesmo sexo, é realmente marginalizado pela comunidade “hetero”, se ela não o entende, a comunidade gay é ameaçada por ele e sua atitude pessoal. Não existe realmente um grupo que aceite isso. Esses homens não querem falar publicamente.

Este tópico é um tema quente para os políticos:

– Mas agora eles querem nos dizer que não podemos tomar decisões sobre o que queremos alcançar. Isto está errado. Eles estão infringindo nosso direito da primeira emenda.

Então, quem são essas pessoas que estão no centro direto dessa controvérsia? Os que querem deixar a comunidade gay? Como você desenvolve esses sentimentos que não deseja? Por que eles rejeitam uma identidade gay? E a mudança deles é mesmo real?

Esta pequena história acompanha a vida de quatro homens, que encontram a terapia e, agora, dizem que eles encontraram uma natureza heterossexual no íntimo deles.

star-line-clipart-22
Rafael Vidal

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.