Atriz e cantora Miley Cirus, cujo comportamento é referência para a sociedade em geral. Essa mentalidade e escolha de valores causa situações como as descritas no artigo a seguir.

Por Ashe Schow. Leia o artigo completo no Daily Wire.

Um australiano foi acusado de estuprar uma mulher que ele conhecia e com quem teve relações sexuais em outubro de 2017.

O casal se encontrou em um evento da igreja anos antes, e fez sexo ocasionalmente durante esses anos. Em 8 de outubro de 2017, a mulher convidou o homem para sua casa depois de os dois terem brigado naquele dia. O homem foi e os dois fizeram sexo consensual. No dia seguinte, no entanto, ela ligou para a polícia e disse que o homem a estuprara.

As acusações foram finalmente retiradas, porque a mulher simplesmente “esqueceu” que o convidara.

O promotor retirou as acusações e disse ao tribunal que a mulher sofria de distúrbio de estresse pós-traumático e tinha um distúrbio de personalidade. Ele disse que esses distúrbios podiam levar a mulher a se envolver em “incidentes com homens, quando o sexo consensual pode ocorrer, ela pode transplantar memórias anteriores nesses encontros.

Ela tem um problema de alcoolismo, que a faz consumir um bom bocado de álcool todos os dias, e isso desempenha um papel em sua saúde mental e em sua mente, estado e percepção das coisas. Também desempenha um papel no motivo pelo qual ela pode esquecer as coisas às vezes.”

A juíza do caso disse ao tribunal que a acusadora tinha uma “falsa impressão” do incidente.

A mulher também alegou que antes do sexo, o acusado a empurrara “contra o sofá, o que machucara as suas costas”. O homem, aparentemente, não tinha “nenhuma lembrança” de tê-la empurrado, segundo seu advogado, mas se declarou culpado do ataque para “impedir que a mulher tivesse que enfrentar o banco das testemunhas”.

O acusado, apesar de ser inocente, perdeu o emprego como motorista da Uber por causa das alegações da mulher. Ele não tinha antecedentes criminais antes dessa acusação.

Isto é o que acontece quando vivemos na era do #MeToo, onde deve-se acreditar em todas as acusações, não importa o quão escassas ou quais sejam as circunstâncias da mulher, e todo acusado deve ser submetido ao sistema. Este homem foi acusado de estupro porque uma mulher mentalmente doente esqueceu que havia consentido.

Em outro exemplo recente, um homem enfrentou o sistema judicial depois que uma ex-namorada abusiva o perseguiu e então, quando ele não respondeu, inventou uma falsa alegação de estupro contra ele. Ele era a vítima, mas foi tratado como um perpetrador até que as acusações foram finalmente retiradas.

Talvez a mulher que esqueceu que ela consentira precise de ajuda na saúde mental, mas muitas outras mulheres, que mentem por razões vingativas, nunca são punidas pelos danos que causam a homens inocentes. Ou, nos raros casos raros em que elas são punidas criminalmente, elas recebem penas leves, como liberdade condicional ou multa.

Enquanto as falsas acusações não forem levadas a sério, elas continuarão, e quando há um movimento que busca pintar o devido processo como um impedimento à justiça, elas não apenas continuarão, mas aumentarão.

Receba Por E-mail

Inscreva-se em nossa lista de e-mails para receber atualizações e as notícias mais recentes do Conselho!

Inscrito Com Sucesso, Parabéns!