iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

Lynn Yaeger vs Melania Trump: confronto de visões de mundo
Yaeger não aprova a aparência de Melania.

Psicologia e psiquiatria há muito tempo são lares de tolos esquerdistas

Por Dennis Prager em dennisprager.com

A Associação Norte-americana de Psicologia, em suas palavras, emitiu “suas primeiras diretrizes para a prática com homens e meninos”. Essas diretrizes “baseiam-se em mais de 40 anos de pesquisas mostrando que a masculinidade tradicional é psicologicamente prejudicial e que socializar meninos para reprimir suas emoções causa danos”.

Três observações:

1) A última coisa que os homens norte-americanos precisam hoje é menos masculinidade.

Se você precisar de provas, pergunte às mulheres que estão procurando por um marido se os homens que elas namoram exibem demasiada, pouca ou a quantidade certa de
masculinidade . Eu conversei com centenas de mulheres no meu programa de rádio (toda semana eu tenho uma “Hora Masculina / Feminina”), em palestras e em particular, que estão namorando para encontrar um cônjuge. Nenhuma disse que os homens,
hoje, são masculinos demais. Praticamente todas disseram que os homens hoje carecem de masculinidade.

E por que os homens careceriam de masculinidade? Um grande número de meninos cresce sem pai ou com um pai que raramente vêem. Suas vidas são dominadas por mulheres: sua mãe, praticamente todas as professoras, provavelmente a diretora da escola e provavelmente a terapeuta.

Como se isso não bastasse, muitas das mães solteiras desses garotos americanos estão zangadas com o homem que nunca se casou com elas, com o homem que se divorciou delas ou com os homens em geral. Além disso, as professoras desses garotos reprimem seus comportamentos masculinos naturais impulsionados pela testosterona. E agora os professores lhes dizem, cada vez mais, que eles podem nem ser um menino.

É claro que alguns homens são cafajestes – exigindo sexo no primeiro encontro, enviando mensagens cheias de sexo, etc. Mas a maioria dos homens sabe que grosseria não é masculinidade. Esses comportamentos emanam não da masculinidade, mas da educação deficiente e / ou da revolução sexual, que ensinou aos homens e mulheres que os impulsos sexuais de homens e mulheres são os mesmos.

Mas como a psicanalista Erica Komisar escreveu no Wall Street Journal […], é “uma receita para a doença mental” dizer aos meninos que “agressão, competitividade e proteção são um sinal de doença”.

2. Este é outro exemplo da regra mais importante da vida contemporânea: a esquerda estraga tudo o que toca.

A esquerda arruinou as artes; as universidades; as escolas de ensino médio; a família nuclear; o protestantismo tradicional, o catolicismo e o judaísmo; os escoteiros; e o jornalismo. Agora está fazendo o mesmo com as ciências: as universidades estão, cada vez mais, escolhendo os docentes das faculdades de ciências com base no gênero e na raça, e não na perícia científica.

A psicologia e psiquiatria, há muito tempo, são lares de tolos esquerdistas (lembre-se do exemplo de 1964 de 1.189 psiquiatras que declararam o então candidato à presidência, o senador Barry Goldwater, “psicologicamente inadequado”). Mas a declaração da APA causará ainda mais danos.

A American Psychological Association vai além de definir a “masculinidade tradicional” como “em geral, prejudicial”. Ela insta os terapeutas a ajudar os homens a “identificar como eles foram prejudicados pela discriminação contra aqueles que não são conformes ao gênero”. É isso mesmo. O psicoterapeuta de seu filho explicará a ele como é perfeitamente normal que um menino da idade dele (começando no jardim de infância) use um vestido, e que considerar um menino de 8 anos de vestido não muito saudável é o que não é saudável. Além disso, a APA espera que este terapeuta garanta ao seu filho que ele também possa muito bem escolher ser uma menina.

Nas palavras de Komisar, isso é “uma afirmó ação ideológica transformada em uma recomendação de tratamento clínico”. Essa “afirmação ideológica” é, claro, esquerdismo.

3. A declaração da APA torna a escolha de um psicoterapeuta simples.

A parte mais difícil de iniciar a psicoterapia é descobrir como escolher um psicoterapeuta. Se você escolher o errado, você não só perdendo muito tempo e dinheiro; você não será ajudado, e você pode muito bem ser prejudicado.

Então, como alguém escolhe um psicoterapeuta? A APA simplesmente tornou a tarefa muito mais simples: basta perguntar a qualquer terapeuta que você esteja considerando para si mesmo ou para outra pessoa: “Você concorda com a Associação Psicológica Americana de que ‘a masculinidade tradicional é psicologicamente prejudicial’?”

Se o terapeuta concordar, agradeça a ele pelo tempo e saia. Se o terapeuta começar a dar uma resposta prolongada, saia. Qualquer terapeuta que não possa condenar inequivocamente a declaração da APA é indigno de seu tempo e seu dinheiro, muito menos de sua psique. Muitos tentarão evitar concordar diretamente (ou discordar) com a afirmação. Eles vão dizer a você que, às vezes, a masculinidade é um problema. Mas eles estão apenas tomando cuidado para não perder você como um cliente em potencial. Essa afirmação não tem sentido: não há nada que não possa ser prejudicial às vezes. Isso inclui a feminilidade tanto quanto a masculinidade, e inclui coisas normalmente boas como a água (afinal, muitas pessoas se afogam).

Sem a “masculinidade tradicional”, a civilização está perdida. Pergunte a qualquer um que você conheça que concorda em usar o termo “a geração grandiosa” para descrever a geração que lutou na Segunda Guerra Mundial, se os homens daquela geração teriam lutado, quanto mais vencido, sem “masculinidade tradicional”.

Não confie em terapeutas que não condenem a declaração da APA. Eles são tolos ou covardes. Eles podem muito bem ser gentis e sinceros. Mas isso não significa nada. Você ou seu filho não serão ajudados pela gentileza e sinceridade. Você ou seu filho só serão ajudados pela sabedoria.

Dennis Prager é um apresentador e colunista de talk show de rádio. Seu último livro, publicado pela Regnery em abril de 2018, é “The Rational Bible”, um comentário sobre o livro de Êxodo. Ele é o fundador da Universidade Prager.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.