iconfinder_vector_65_12_473798

Filie-se!

Junte-se ao Conselho Internacional de Psicanálise!

iconfinder_vector_65_02_473778

Associados

Clique aqui para conferir todos os nossos Associados.

iconfinder_vector_65_09_473792

Entidades Associadas

Descubra as entidades que usufruem do nosso suporte.

mundo

Associados Internacionais

Contamos com representantes do CONIPSI fora do Brasil também!

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email

A mídia têm procurado divulgar a distinção do relacionamento que algumas pessoas possuem com pessoas fora do matrimônio da seguinte forma: amizade, caso e caso emocional. É difícil entender a finalidade e por isso publicar falas a respeito.

A psiquiatra dra. Gail Saltz diz saber a distinção que poderia salvar o seu relacionamento.

Entre amigos há o apreço pela companhia do outro e sem intimidade, um típico relacionamento social. Um caso é o resultado do relacionamento íntimo entre duas pessoas, sendo que ao menos uma delas é casada. Para se evitar a classificação de traição, inventou-se uma tericeira categoria em que não há sexo, é o caso emocional. Neste, o relacionamento ocorreria como num caso comum mas restrito ao âmbito emocional (?!).

É confuso mesmo, a ideia é que o casal que está num caso não vai para os finalmentes por qualquer razão que seja.

Se um caso não agrega ao relacionamento, por que as pessoas buscam mantê-lo?

Gentlemen Prefer Blondes Flirting GIF - Find & Share on GIPHY

Quando as dificuldades do relacionamento íntimo começam a se apresentar como um fardo, tornando difícil o convívio harmonioso e pacífico, as pessoas tendem a usar todo o tipo de desculpas e válvulas de escape que as ajudem a permanecer na sua área de conforto enquanto descarregam suas tensões.

As desculpas que utilizamos para justificar a traição sempre parecem boas (foi só uma vez/online). Naturalmente não são e não servirão para solucionar os problemas, pois é preciso entender primeiro a gênese do conflito.

Apesar de não haver sexo, no caso emocional há interesse sexual e isso acaba sugando toda a energia do casamento, como diz a terapeuta de casamento Sheri Meyers. Geralmente, casos de traição começam a ocorrer quando há desrespeito, pois começa a haver segredos no relacionamento e descaso com os sentimentos do parceiro.

De acordo com Sheri, quanto mais nos afastamos de nosso parceiro e deixamos de dar atenção, apreço e afeição mais próximos estamos de cruzar a linha e trair. Não é por acaso que o casal irá fatalmente se envolver fisicamente também.

É uma traição, explica a psiquiatra Gail Saltz, por que você sabe que seu parceiro sentiria dor se soubesse. Então, uma vez que abandonamos as desculpas e assumimos nosso papel na manutenção do relacionamento, podemos começar a mudar as coisas. Recolhemos algumas orientações que podem ajudar a evitar a traição:

Primeiro, é importante saber que é saudável, eventualmente, pensarmos sobre outra pessoa, mas estamos falando de ações e não mais de pensamentos.

Se nos preocuparmos sempre com as necessidades e desejos do parceiro, será muito mais difícil prejudicarmos nosso relacionamento – que lutamos tanto para construir. Então, comunique ao seu parceiro o que sente e pensa para que ele tenha a opção de ajudar você ou não.

Convêm ficar longe de substâncias viciantes, especialmente quando estiver com quem pode incentivar a traição. Não devemos criar situações que nos ajudem a ceder aos desejos e que nos impeçam de utilizar o intelecto, pois é aí que os problemas começam: Aceitamos um drink depois do trabalho, ou tocamos a outra pessoa, ou escolhemos a roupa que iremos usar na espectativa de encontrar o parceiro etc.

Quem busca ou possui um caso, deve entender que está buscando por algo que falta no seu atual relacionamento, e é isto que está levando a procurar um caso. Focando as energias em tentar atender nossas necessidades no casamento poderemos preservá-lo.

Se você está em um caso procure terminá-lo o mais rápido possível e da melhor forma possível. Se você não está, não entre nessa roubada.

Não se trata de permitir que seu parceiro tenha o controle sobre sua vida. O ponto principal é que deve haver compromisso e respeito, então se há algum problema na relação com seu parceiro seja honesto consigo mesmo e procure corrigir seus erros.

Um casal que segue o princípio cristão de permanecer fiél (2 Timóteo 2:13) porque essa é a sua natureza dificilmente terá problemas.

star-line-clipart-22
Editorial

Colunista do Conselho Internacional de Psicanálise.

Opinião

Seja seu Próprio Herói.

Por Andrew Klavan. Leia o artigo completo no Daily Wire. [George] Lucas, você sabe, incorporou outras influências. O grande cineasta japonês Akira Kurosawa fazia parte de

Leia Mais »